FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Baralho Literário
4
Comecei a pensar que havia escolhido o dia errado para caminhar pelo Parque do Ibirapuera. De uma manhã fria de junho o que mais poderia eu esperar? Acordei naquele fim de madrugada para terminar de redigir um texto para uma revista. Como de costume, assei cinco pães de queijo e misturei algumas gotas de café ao leite quente. Levei a cadeira ao jardim e, enquanto o tomava, olhei para o céu e procurei a lua. Não a encontrei...Clicando aqui, você lê
4
Q
A maioria daqueles estranhos nunca mais me veriam na vida e, os que me veriam, provavelmente, não se lembrariam de mim. Mesmo sabendo disso, sou um cara metido a normal. Evito ficar enfiando as mãos dentro da calça e sacolejando pra alegria de alguns e náusea de outros.Clicando aqui, você lê o texto completo
Q
8
Seu gosto
Não discuto
Não olhe meu rosto
Nem um minuto.

Deixe-me aqui
Vagando a esmo
Ninguém eu vou ferir
A não ser a mim mesmo.Clicando aqui, você lê a letra de música
8
Clique sobre o baralho!