FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Baralho Literário
A
– Sr. Marcelo, quer comprar o nosso seguro de vida?
– Dona Ângela, eu não tenho filhos e sou solteiro.
– E daí, senhor Marcelo?
– Como e daí? Pra que eu vou querer um seguro de vida?
– Pro senhor mesmo. Se o senhor sofrer um acidente e ficar inválido, o senhor recebe o seguro de vida.
– Dona Ângela, se eu sofrer um acidente e ficar inválido, dou um tiro na minha cabeça.Clicando aqui, você ouve a crônica
A
5
– Como você consegue não guardar mágoa de mim?
– Pra escrever humor, elimino uns 70% da mágoa e preservo 30% pra dar a dose de acidez.
– Então você só está 30% magoado comigo?
– Pode-se dizer que sim.
– Não vai me esnobar, então?
– Já fiz isso com os 30% da minha acidez, agora, preciso dar voz aos outros 70% e vingar-me de 25 anos de espera.
– Na minha casa ou na sua?Clicando aqui, você lê o texto completo
5
K
O Pogobol de 1988 nunca mais fora reposto e o skate de 1989 eu mal aprendera a usar. Ele apenas serviu para descer algumas ladeiras, sem que as manobras específicas do esporte fossem por certo aprendidas. Rapidamente esquecido, fora depositado no fundo do porão.
(Trecho da crônica para rádio "O último natal de uma década")
Clicando aqui, você ouve
K
Clique sobre o baralho!