FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Biscoito da Sorte
Aceita um biscoito da sorte? É só clicar e descobrir a surpresa que tem dentro dele pra você!
X
E, se você ousar discordar de mim, eu sinto vontade de meter uma bala no meio dessa sua testa. E só não o faço porque – mesmo que as leis dos mortais não me peguem – a minha maldita mente foi desafeiçoada com os inconvenientes genes do sofrimento pela dor alheia. Estes detestáveis dispositivos, que foram essenciais pra continuidade da presença humana no globo terrestre até o instante atual, responsáveis pela vulga "lei da boa vizinhança", não me deixarão ressonar os meus "decibélicos" roncos noctâmbulos em paz. Só por isto. Ah, e também porque eu não sou cem por cento ateu. Mesmo que seja ínfima a possibilidade de haver um Deus, vai que o calhamaço milenar seja fidedigno... Deus me livre!Clicando aqui, você lê a crônica completa
X
Desta feita, vislumbrei que o quarteto de temporadas climáticas não somente alternava-se no âmbito do perpétuo ciclo de doze meses como também repetia-se ao decorrer de toda a existência de um ser vivente.

Acordamos de manhã, contemplando um novo crepúsculo, cheios de esperança com a oportunidade a nós ofertada de presente pelo universo de colocar em prática as ações que nos conduzirão pelas veredas dos nossos sonhos. Trabalhamos no início do entardecer, com o sol a pino, empenhados na concretização de nossas metas. Atenuamos no início da noite, satisfeitos com mais um tijolinho assentado na construção da nossa casinha de anseios, vendo as folhas da criação serem renovadas. E descansamos no frio da madrugada, momento em que uma leve dor incomoda nas juntas dos ossos porque todas as dores doem à noite, porém com a certeza de que, logo, virá uma viçosa alvorada.

A poesia está no circuito da vida, no passar dos minutos e no escoar de uma energia que se esvai...
Envolta pelo firmamento de distintos espaços do globo terrestre, a poesia acontece sob a pena de poetas de díspares faixas etárias, gêneros e localidades geográficas.Clicando aqui, você assiste ao vídeo com animação digital
X
Nada vai mudar
As leis do Talião
Eu vou ter que cegar
A sua visão.

Olho por olho
Dente por dente
Eu que escolho
Meu oponente.Clicando aqui, você ouve a música
X
Agora, eu vejo
Passado é caranguejo
Que anda pra trás
Distancia mais.

Novo ar, inalo
Enquanto eu falo
Bom dia! Ouvira
Minha querida Lyra.Clicando aqui, você assiste ao filme
X
Antes de você partir
Eu filmei o seu sorriso
Você ainda está aqui
Da sua imagem, preciso.

Sala vazia e sofá
Velha TV na estante
Espero você chegar
Pra que fique como antes.

Dentro do vídeo cassete
Vive sua vida a mil
Hoje já é dia sete
Há um mês, você partiu.
(Trecho da letra de música "As imagens que eu guardei")
Clicando aqui, você lê a letra completa
X
Eu preparo o meu sal de fruta e ligo o rádio. Tem que ter estômago para ouvir esse cara. Os seus malabarismos verbais insultam a inteligência do público, mas ele fala com tanta segurança que muita gente é persuadida. Defensor das instituições legais, compara aprisionamento preventivo com cárcere perpétuo, servindo-se da premissa de que ambos não têm um prazo prévio estipulado e, por causa disto, agridem uma cláusula pétrea.
Eu também quero que a presunção de inocência prevaleça, mas sem chegar ao ponto de exigir demais da flexibilidade dos surrados tímpanos populares com analogias heterodoxas. Mas ele chama de ignorante quem se revolta com os habeas corpus concedidos a políticos corruptos. Seus argumentos são meras interpretações da lei e não verdades absolutas. Seriam ótimos se proferidos pelos advogados dos delinquentes de colarinho branco. E eu só quero que a justiça funcione e puna os infratores. Simples.
Os tecnólogos resolvem vários pepinos com uma singela chave de fenda. Creio que o mesmo instrumento não possa ser manuseado para reparar danos na política e na justiça porque eu sou um democrata. Penso que a tortura e a violência não sejam viáveis. Nem teoricamente, pois eu quero manter o nível do texto. E as contrariedades devem ser solucionadas de frente e não pela retaguarda. Nem mesmo pela retaguarda de um ministro do STF que me aborrece. Relaxem as suas fendas, senhores magistrados, pois não utilizarei a minha chave de fenda em vossas excelências.Clicando aqui, você lê o texto completo